Home | Empresa | Serviços | Fotos | Produtos| Curiosidades | Parceiros | Contato |
 
 
 
 
Aprenda Muito +
 
Lista de Espécies da Flora Ameaçadas de Extinção
Através da Portaria nº. 37-N, de 3 de abril de 1992, o IBAMA tornou pública a lista oficial de espécies da flora brasileira ameaçada de extinção. A grande degradação da biodiversidade e dos ecossistemas é uma preocupação global, pois causam uma série de problemas ambientais, entre eles a perda de funções ambientais e de inúmeras espécies de grande importância econômica, estética, científica, genética e ecológica.

FamíliaNome CientíficoNome VulgarCategoria
PalmaeAcanthococos emensis Toledo Rara
BromeliaceaeAechmea apocalyptica Reitz Rara
BromeliaceaeAechmea blumenavii Reitzgravatá, monjola, broméliaRara
BromeliaceaeAechmea kleinii Reitzgravatá, monjola, broméliaRara
BromeliaceaeAechmea pimenti-velosii Reitzgravatá, monjola, broméliarara
LauraceaeAniba roseodora Duckepau-de-rosaEm perigo
AraucariaceaeAraucaria angustifolia (Bertol)O. Kuntesepinheiro-do-paranáVulnerável
CompositaeAspilia grasielae Santos Indeterminada
CompositaeAspilia paraensis (Huber) Santos Rara
CompositaeAspilia pohlii Backer Indeterminada
CompositaeAspilia procumbens Backer Rara
AnacardiaceaeAstronium fraxinifolium Schottgonçalo-alvesVulnerável
AnacardiaceaeAstronium urundeuva (Fr.All.) Englaroeira-do-sertão, aroeira-legítimaVulnerável
LeguminosaeBauhinia smilacina (Schott) Steudelcipó-escada-de-macacoVulnerável
LecythidaceaeBertholletia excelsa HBKcastanheira, castanheira-do-brasilVulnerável
BromeliaceaeBillbergia alfonsi-joannis Reitzpoço-de-jacó, gravatá,.monjola,.broméliaEm perigo
LeguminosaeBowdickia nitida Spruce ex Benthsucupira, sucupira-da-mata, sucupira-verdadeiraVulnerável
MoraceaeBrosimum glaucum Taubert Rara
MoraceaeBrosimum glazioui TaubertmarmelinhoRara
SapotaceaeBumelia obtusifolia Roem et Schult. var. excelsa (DC) MigquixabeiraVulnerável
LeguminosaeCaesalpinia echinata Lampau-Brasil, pau-pernambuco, ibirapitangaEm perigo
LecythidaceaeCariniana ianeirensis KunthjequitibáRara
OrchidaceaeCattleya schilleriana Reichback Em perigo
ZingiberaceaeCostus cuspidatus (Nees et Martins). Maas Rara
ZingiberaceaeCostus fragilis Maas Rara
ZingiberaceaeCostus fusiformis Maas Rara
ChrysobalanaceaeCoupeia schottii Fritschoiti-boiVulnerável
LeguminosaeDalbergia nigra (Vell.) Fr. Alljacarandá-da-bahiaVulnerável
DicksoniaceaeDicksonia sellowiana (Presl) Hooksamambaiaçu-imperialEm perigo
LauraceaeDicypellium caryophyllatum Neescravo-do-maranhão, pau-cravo, casca-preciosaVulnerável
AsclepiadaceaeDitassa arianeae Font. et Schw Em perigo
AsclepiadaceaeDitassa maricaensis Font. et Schw Em perigo
MoraceaeDorstenia arifolioa Lamcaapiá, caiapiá, capa-homem, carapiá, contra-erva, figueira-terrestreVulnerável
MoraceaeDorstenia cayapia Vellcaapiá, caiapiá, caiapiá-verdadeiroEm Perigo
MoraceaeDorstenia elata Hookcaiapiá-grandeRara
MoraceaeDorstenia ficus Vellcontra-erva, figueira-terrestreRara
MoraceaeDorstenia fischeri BureaucaiapiáEm perigo
MoraceaeDorstenia ramosa (Desv.) Car. et alcaiapiá-grande, capa-homem, contra-erva, figueira-da-terraVulnerável
MoraceaeDorstenia tenuis Bompl. ex Burvioleta-da-montanha, violeta-montesVulnerável
BromeliaceaeDyckia cabrerae Smith et Reitz.gravatá, broméliaEm perigo
BromeliaceaeDyckia distachya Hasslergravatá, broméliaEm perigo
BromeliaceaeDyckia hatschbachii L.B. Smithgravatá, broméliaEm perigo
BromeliaceaeDyckia ibiramansis Reitzgravatá,broméliaEm perigo
RutaceaeEuxylophora paraensis Huberpau-amarelo, pau-cetimVulnerável
BromeliaceaeFernseea itatiae (Wawra) Baker Rara
AsclepiadaceaeGonolobus dorothyanus Font. et Schw. Em perigo
MusaceaeHeliconia angusta Vellbico-de-guaráVulnerável
MusaceaeHeliconia citrina L. et Em. Santos Em perigo
MusaceaeHeliconia farinosa Raddi Vulnerável
MusaceaeHeliconia fluminensis L. Em. et Em Santos Vulnerável
MusaceaeHeliconia lacletteana L. Em. et Em Santos Vulnerável
MusaceaeHeliconia sampaioana L. Em Vulnerável
BalanophoraceaeHelosis cayannensis (Swartz) Sprengel var. cayennensissangue-de-dragãoVulnerável
ChrysobalanaceaeHirtella insignis Briquet et Prance Em perigo
ChrysobalanaceaeHirtella parviunguis Prance Em perigo
ChrysobalanaceaeHirtella samtosii Prance Em perigo
ConvolvulaceaeIpomoea carajaensis D. Austin Em perigo
ConvolvulaceaeIpomoea cavalcantei D. Austin Em perigo
TheophrastaceaeJacquinia brasiliensis Mezbarbasco, pimenteira, tinguiVulnerável
OrchidaceaeLaelia fidelensis Pabstlelia-de-são-fideliIndeterminada
OrchidaceaeLaelia grandis Lindl. et Paxtlelia-da-bahiaEm perigo
OrchidaceaeLaelia jongheana Reinchbach Vulnerável
OrchidaceaeLaelia lobata (Lindl.) Veitchlelia-da-gáveaEm perigo
OrchidaceaeLaelia perrinii (Lindl.) Paxtlelia-de-perrinEm perigo
OrchidaceaeLaelia tenebrosa Rolfelelia-escuraEm perigo
OrchidaceaeLaelia virens Lindllelia-verdeRara
OrchidaceaeLaelia xanthina Lindllelia-amarelaEm perigo
MelastomataceaeLavoisiera itambana DC Rara
ChrysobalanaceaeLicania aracaensis Prance Rara
ChrysobalanaceaeLicania bellingtonii Prance Em perigo
ChrysobalanaceaeLicania indurata Pilgermilho-cozidoEm perigo
CompositaeLomatozona artemisaefolia Baker Rara
CompositaeLychnophora ericoides Martarnica, candeiaVulnerável
LeguminosaeMelanoxylon braunia Schottbrauma-pretaVulnerável
MonimiaceaeMollinedia gilgiana Perkins Rara
MonimiaceaeMollinedia glabra Perkins Em perigo
MonimiaceaeMollinedia longicuspidata Perkins Rara
MonimiaceaeMollinedia stenophylla Perkins Em perigo
LaureceaeOcotea basicordatifolia Vattimo Rara
LaureceaeOcotea catharinensis Mezcanela-pretaVulnerável
LaureceaeOcotea cymbarum H.B.K.óleo-de-nhamuí, inhamuhy, louro-de-inhamuhy, sassafrázVulnerável
LaureceaeOcotea langsdorffii MezcanelinhaVulnerável
LaureceaeOcotea porosa (Nees) BarrosoimbuiaVulnerável
LaureceaeOcotea pretiosa Mez.canela-sassafrázEm perigo
ChrysobalanaceaeParinari brasiliensis (Schott) Hook Em perigo
MalvaceaePavonia almifolia St. Hil.guêtaVulnerável
EuphorbiaceaePhyllantus gladiatus Muell. Argdracena-da-praiaEm Perigo
RutaceaePilocarpus jaborandi Holmesjaborandi, jaborandi-de-pernambuco, arruda-do-mato, jaborandi-brancoEm Perigo
RutaceaePilocarpus microphyllus Stapf ex Wardljaborandi-legítimo, jaborandi-do-maranhãoEm perigo
RutaceaePilocarpus trachylophys Holmesjaborandi-do-ceará, arruda-do-matoEm perigo
LeguminosaePithecellobium recemosum Ducke.angelim-rajado, ingaranaVulnerável
SapotaceaePouteria psammophila var. xestophylla (Miq. et Eichl.) Baehni Vulnerável
GentianaceaePrepusa hookeriana Gardnercravina-do-campoEm perigo
AnacardiaceaeSchinopsis brasiliensis var. glabra Englbrauna, baraúnaVulnerável
SimaroubaceaeSimarouba floribunda St. Hil  
SimaroubaceaeSimarouba suaveolensis St. Hill  
LeguminosaeSwartzia glazioviana (Taubert) Glaziou Em perigo
MeliaceaeSwietenia macrophylla Kingmogno, águano, araputangá, caoba, cedroaranáEm perigo
LeguminosaeTorresea acreana Duckecerejeira, cumaru-de-cheiro, imburana-de-cheiroVulnerável
MyristicaceaeVirola surinamensis Warbucuuba, ucuuba-cheirosa, ucuuba-brancaVulnerável
LeguminosaeVouacapoua americana AublacapuEm perigo
BromeliaceaeVriesea biguassuensis Reitzgravatá, monjolinha, broméliaIndeterminada
BromeliaceaeVriesea brusquensis Reitzgravatá, monjola, broméliaRara
BromeliaceaeVriesea mulleri MezgravatáRara
BromeliaceaeVriesea pinottii Reitz.gravatá, monjola, broméliaEm perigo
BromeliaceaeVriesea triangularis Reitzgravatá, monjolinha, broméliaIndeterminada

Época de poda.
Em geral a poda deve ser feita após a floração

Tipos de Poda
- Poda de Formação:
Corta-se os ramos baixos, não deixando que se forme galhos antes da planta atingir 2m de altura. Essa técnica tem dois motivos. O primeiro é que na natureza a árvore, por competição com outras espécies, alcança o sol apenas em determinada altura (geralmente acima de 2m), fazendo com que a formação de galhos só ocorra após esta altura.
O segundo motivo, destina-se à árvores plantadas em passeio público. A altura mínima para o galhamento das árvores na arborização urbana, é de 1,80m, para não impedir a livre passagem de pedestres.
- Poda de Emergência
Para o caso de estar atrapalhando a Rede Elétrica, casas ou calçadas. Neste caso, aconselhamos que antes de pensar na poda, pense em espécies adequadas para o local. Este site tem como uma de suas finalidades este conhecimento, para que não ocorram mais estes erros, que em suma, representam um desrespeito à Mãe Natureza.

Tratamento pós-poda
Se os cortes forem efetuados dentro da técnica recomendada, basta que a árvore esteja saudável para que eles cicatrizem naturalmente.
Os galhos finos apresentam uma cicatrização mais rápida se a superfície de corte ficar lisa. Para galhos mais grossos, pode-se fazer o tratamento no local do corte, com substâncias que visam impedir a ação de agentes nocivos. As substâncias mais utilizadas são: calda bordalesa, parafina, mastique e cera de enxerto. Nunca use substâncias corrosivas como piche, tintas, graxas ou alcatrão, pois destroem o tecido celular da árvore.

Aprenda mais sobre insetos

Abelhas: Você sabia que as abelhas são importante para o homem? Pois elas tem produtos de grandes valores para os homens, como o mel, o própolis, a geléia real e a cera. No Brasil existem várias abelhas nativas, que formam colméias e podem ser encontradas cerca de 50 ou 80 mil abelhas operárias. Elas são responsáveis pela construção, alimentação da rainha, da ventilação do ninho e produção do mel, podem viver cerca de 30 à 50 dias e a rainha de 3 a 4 anos. Os machos chamados de zangões não fazem nada, somente fecundam a rainha e morrem logo em seguida.

Aranhas:Você sabia que existem cerca de 35.000 espécies de aranhas no mundo? São muito importante para o ecossistemas pois são predadoras capazes de regular a população de outros agropólis.Elas vivem em quase todos os lugares, como fresta de portas, caixas, equipamentos, e no meu de tronco de arvores. Dentro de casa elas se escondem dentro de caixas, gavetas, sapatos e roupas.As aranhas tem 4 pares de pernas e a maioria tem oito olhos e algumas podem chegar a ter menos ou até nove olhos. Elas tem na cabeça um par de quelíceras membro por onde sai o veneno ou peçonha.

Baratas:Você sabia que as baratas são os insetos mais comuns ao convívio do homem? Cerca de 4.000 de espécies existentes, a sua maioria é silvestre e cerca de 1% busca o convívio com o homem, devido as condições propicias de abrigo, água e comida, a maioria é de origem tropical e subtropical e de origem do continente africano.Baratas são animais de hábitos noturnos, sendo mais ativas à noite, quando saem do abrigo para alimentação, cópula, oviposição, dispersão e vôo.As mais comuns no Brasil são a Barata alemã (Blatella germanica) e a Barata-de-esgoto (Periplaneta americana).

Cupins:Você sabia que o cupim existe a muito mais tempo que os homens? Pois restos fossilizados destes insetos foram encontrados em formação cerca de 55 milhões de anos.Os cupins têm desempenhado papel fundamental no meio ambiente por questão de se alimentarem de celulose, atacando por está razão papéis, livros, estruturas de madeiram, ou qualquer outro material derivado deste produto composto (polímero). Existem várias espécies de cupins:
.Cupins de madeira seca: O nome já diz cupim de madeira seca, que são cupins que fazem ninhos e as colônias encontra-se na madeira seca e ao mesmo tempo serve de abrigo e alimento.
.Cupins subterrâneos: O cupim subterrâneo vive no solo, geralmente próximo a uma fonte de umidade ou alimento, dessa forma sempre sai do ninho para buscar alimento para sobreviver.
.Cupins arbóreos e de Cupins Montículos: Existem vários tipo de cupins que podem ser agrupados de diferentes maneiras. Pelo formato do ninho podemos citar, por exemplo os montículos responsáveis por prejuízos na lavoura.

Escorpião:Atualmente são conhecidas cerca de 1.400 espécies de escorpiões distribuídas pelo mundo com exceção da Antártida.No Brasil as espécies mais importantes pertencem ao gênero Tityus Serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahiensis (escorpião preto).Podemos encontrar escorpiões em pedras, entulhos, em bromélias localizadas em arvores ou em solo, cemitérios ou casas abandonadas, isso por conta de baratas que lhe servem de alimento.

Formigas: Você sabia que as formigas não dormem ? Elas ficam andando lentamente. As formigas pegam folhas, mas não comen .Elas se alimentam dos fungos das folhas e que estima-se que existam cerca de 18.000 espécies de formigas sendo que 10.000 já foram descritas. No Brasil cerca de 2.000 espécies sendo que apenas 20 ou 30 são consideradas como pragas.As formigas operarias são responsáveis pelo construção do formigueiro, escavação e limpeza do ninho e a procura de alimento, as operarias vivem de dois a três meses e trabalham a vida toda em prol da colônia.

No dicionário:
do Lat. arbore - grande vegetal lenhoso, cujos ramos saem a certa altura do tronco

Raiz: Uma vez que a maioria das raízes são subterrâneas e portanto não facilmente visíveis, nossa tendência é ignorá-las e desmerecê-las. A primeira raiz do vegetal vem do embrião, chamada de raiz primaria, ou raiz principal. Ela pode ser pivotante (cresce principalmente para baixo) ou tabular (cresce principalmente lateralmente).
A raiz possui órgãos especializados para sustentação, absorção, armazenamento e condução da seiva, e é responsável pela retirada de água e nutrientes do solo.A água e nutrientes absorvidos compõem a seiva bruta. Essa seiva bruta é transportada, da raiz para as folhas pelo xilema (conjunto de vasos encontrados no caule da planta).

Caule: Uma curiosidade é que as plantas primitivas só tinham caule ! Estes são tidos como precursores das folhas e assim ancestrais do próprio sistema caulinar.O caule promove interligação entre raiz e folha, levando a seiva bruta da raiz para as folhas, através de um conjunto de vasos condutores, chamado de xilema, e levando a seiva elaborada das folhas até o restante da planta, por um conjunto de vasos condutores, chamado de flolema.Durante a descida, o floema fornece alimento aos demais órgãos.Os troncos das árvores variam em tamanho, forma, textura e cor.É do tronco de algumas árvores que é extraída a madeira que usamos em nossas casas, em móveis, ferramentas, pisos e até mesmo lápis. É também do tronco de algumas árvores que é extraída a matéria prima para fazer o papel - a celulose. Comece a pensar quantas árvores são derrubadas para satisfazer nossas necessidades do dia-a-dia, só relacionadas ao caule!

Folha:  Nas folhas, ocorre a fotossíntese, que é um processo de produção de glicose e oxigênio. Este processo tem como um de seus componentes a luz do sol. A luz é formada por feixes de diferentes comprimentos onda. Cada comprimento é de uma cor. Essas são as cores primárias.Os comprimentos de onda que são absorvidos pelas folhas variam de acordo com as espécies. Em geral o comprimento de onda de cor verde não é absorvido pelas folhas, sendo assim refletido, dando a coloração verde às folhas.A glicose produzida compõe a seiva elaborada conhecida como alimento da planta. A seiva elaborada é transportada, das folhas para toda a planta, pelo floema, como vimos a cima. Também ocorre a transpiração e a perda de água para o meio ambiente na forma de vapor. É possível observar névoas em grandes florestas ao amanhecer. Esta névoa nada mais é que a evaporação da umidade da floresta. Uma parte desta umidade é produzida através desta transpiração que ocorre em cada folha.

Flor: A flor é uma folha modificada do vegetal, de crescimento limitado, contendo as estruturas reprodutivas da planta Giniceu (parte feminina), Androceu (parte masculina).A pétala funciona como atrativo.Cada espécie evoluiu suas flores em tamanho, forma e cor, para se adaptar aos seus determinados polinizadores.Essa evolução garante a perpetuação da espécie, e a biodiversidade através dos polinizadores.Biodiversidade, é a diversidade da vida (bio). Com a flor, as Angiospermas adquiriram a capacidade de se reproduzirem a partir do cruzamento entre dois indivíduos.A grande maioria da flores das Angiospermas é hermafrodita, facilitando a autofecundação. Mas a autofecundação apresenta desvantagem para as espécies, impedindo a variabilidade de caracteres. Para impedir a autofecundação, as flores possuem adaptações que impedem o processo, e facilitam a fecundação cruzada (entre flores de indivíduos diferentes), tais como:
- Hercogamia = alturas diferentes da antera (androceu) e o estigma (giniceu).
- Protandria = o androceu amadurece antes do gineceu.
- Protaginia = giniceu amadurece antes do androceu.

Fruto: Ocorrendo a fecundação, o óvulo origina a semente, e o ovário, o fruto. O fruto protege as sementes e prepara o solo, facilitando a germinação, os frutos podem ser verdadeiros (quando se formarem a partir do ovário, como o abacate); ou falsos (quando se formam de outras partes da planta como o caju, maçã, figo, abacaxi e framboesa).

Sementes:A semente é uma estrutura de propagação da planta; é a unidade reprodutiva que dá início a uma nova geração da espécie. Esta estrutura contém o embrião e protege-o contra a dessecação, danos mecânicos e ataques de organismos diversos.

Fotossíntese: Os seres fotossintetizantes, que não são apenas as plantas, são autótrofos, isto é, produzem seu próprio alimento.A fotossíntese é o processo pelo qual a planta transforma a seiva bruta em seiva elaborada - seu alimento!.Ela ocorre na folha, utilizando gás carbono (CO2), água (H2O) e luz, transforma-os em carboidratos (C6H12O6) e oxigênio (O2), que é liberado na atmosfera. Apesar da glicose ser representada como carboidrato nas células fotossintetizantes, o produto mais imediato são carboidratos com 3 carbonos, conhecidos como trioses.

DENGUE, conheça o Aedes Aegypti mais de perto e fique atento.

O vírus da dengue pode se apresentar de quatro formas diferentes, que vai desde a forma inaparente, em que apesar da pessoa está com a doença não há sintomas, até quadros de hemorragia, que podem levar o doente ao choque e ao óbito.Há suspeita de dengue em casos de doença febril aguda com duração de até 7 dias e que se apresente acompanhada de pelo menos dois dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, dores nas juntas, prostração e vermelhidão no corpo.

- Infecção Inaparente
A pessoa está infectada pelo vírus, mas não apresenta nenhum sintoma.
- Dengue Clássica
Geralmente, inicia de uma hora para outra e dura entre 5 a 7 dias. A pessoa infectada tem febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjôos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças), entre outros sintomas.Os sintomas da Dengue Clássica duram até uma semana. Após este período, a pessoa pode continuar sentindo cansaço e indisposição.
- Dengue Hemorrágica
Inicialmente se assemelha à Dengue Clássica, mas, após o terceiro ou quarto dia de evolução da doença, surgem hemorragias em virtude do sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. A Dengue Hemorrágica pode provocar hemorragias nasais, gengivais, urinárias, gastrintestinais ou uterinas.Na Dengue Hemorrágica, assim que os sintomas de febre acabam a pressão arterial do doente cai, o que pode gerar tontura, queda e choque. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.
- Síndrome de Choque da Dengue
A pessoa acometida pela doença apresenta um pulso quase imperceptível, inquietação, palidez e perda de consciência. Neste tipo de apresentação da doença, há registros de várias complicações, como alterações neurológicas, problemas cardiorrespiratórios, insuficiência hepática, hemorragia digestiva e derrame pleural.

Entre as principais manifestações neurológicas, destacam-se: delírio, sonolência, depressão, coma, irritabilidade extrema, psicose, demência, amnésia, paralisias e sinais de meningite. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.
É importante destacar que a dengue é uma doença dinâmica, que pode evoluir rapidamente de forma mais branda para uma mais grave. É preciso ficar atento aos sintomas que podem indicar uma apresentação mais séria da doença.

SINAIS DE ALERTA - DENGUE HEMORRÁGICA
1.Dor abdominal intensa e contínua (não cede com medicação usual);
2. Agitação ou letargia;
3. Vômitos persistentes;
4. Pulso rápido e fraco;
5. Hepatomegalia dolorosa;
6. Extremidades frias;
7. Derrames cavitários;
8. Cianose;
9. Sangramentos expontâneos e/ou prova de laço positiva;
10. Lipotimia;
11. Hipotensão arterial;
12. Sudorese profusa;
13. Hipotensão postural;
14. Aumento repentino do hematócrito;
15. Diminuição da diurese;
16. Melhora súbita do quadro febril até o 5 dia;
17. Taquicardia.

Veja como evitar a dengue

. Não deixe juntar água nos pratinhos das plantas. Uma boa maneira de mante-los sem larvas é colocar um pouco de areia dentro deles.
. Vire as garrafas velhas de cabeça para baixo para que elas não acumulem água.
. Elimine pneus que estão fora de uso ou mantenha-os secos e protegidos da chuva.
. Cisternas (reservatórios de captação de água), tambores e caixas de água devem ficar bem fechados.
. O Lixo deve ser mantido tampado e seco
. Mantenha os ralos limpos, telados ou fechados e coloque sal, cloro ou creolina.
. Escove as calhas com esponja ou vassoura, lave com bastante água e não deixe obstruída.

Piscina: efetuar tratamento adequado observando a certa dosagem de cloro. Somente com a participação efetiva do cidadão, assumindo sua parcela de responsabilidade e mudando atitudes e praticas que levam a manutenção de criadouros do mosquito no ambiente, será possível controlar a dengue.

Porque não devemos plantar plantas exóticas

- Por não terem predadores naturais, essas espécies podem se multiplicar sem controle, tornando-se assim uma praga, como é o caso do Eucalipto.
- Por não terem uma boa relação com a floresta nativa, podem competir desigualmente pelo espaço, chegando até matar as espécies nativas, como é o caso da Leucena, que em seu habitat natural com pouca água, desenvolveu uma substância que impede o crescimento de outras espécies ao seu redor, para evitar a competição pela água escassa.
- A proliferação pode ser descontrolada. Como é o exemplo também da Leucena. Em seu habitat nativo desenvolveu uma estratégia de produzir milhares de sementes. Isso porque a semente que encontrar apenas um pouco de água já irá germinar. Mas aonde o solo é seco só algumas sementes conseguem sobreviver. Aqui no Brasil, por sser um país tropical úmido, todas as sementes encontrar condições ideais para germinar. O que temos é uma diceminassão tão intensa deste espécie que hoje é considerada uma verdadeira praga em nosso ambiente.
- Algumas espécies exóticas tem as raízes muito bem preparadas para absorver toda a água que conseguirem. Como é o caso do Eucalípto, que absorve tanta água do solo, que este chega a ficar seco. Muitos locais estão com o solo pobre por terem sido invadidos por esta espécie, que muitas vezes é plantada por pessoas que desconhecem este problema.
- O maior erro em se plantar exóticas como Eucalípto e Pinheiros, é que estas espécies crescem muito rápido. Pessoas e empresas que são obrigadas judicialmente a reflorestar, utilizam estas espécies para mostrar o resultado o mais rápido possível. O que muita gente não sabe é que com espécies pioneiras brasileiras, consegue-se este resultado ou mesmo um melhor, tanto em termos de tempo quanto obviamente de qualidade, como é o caso da Embaúba, Monjoleiro e outras.

Não seja você mais um plantador de espécies não brasileiras.

Conhecimento da Lei

A nenhum indivíduo fica concedido o direito de infringir a Lei por desconhecimento desta seja você um proprietário de uma porção de terra, ou apenas quer conhecer as Leis Florestais, veja abaixo a lista que disponibilizamos para você lembre-se que todo reflorestamento deve ter o acompanhamento de um técnico responsável.

Código Florestal
LEI Nº. 4.771, DE 15 DE SETEMBRO DE 1965
(D.O.U., 16.9.65)
Institui o Novo Código Florestal
Tabela de Valores de MULTAS por crimes ambientais
LEI Nº. 4.771, DE 15 DE SETEMBRO DE 1965 (Anexo)
Alteração no Código Florestal
Altera dispositivos da Lei nº. 4.771, de 15 de setembro de 1965, que institui o novo Código Florestal.
LEI Nº. 7.511, DE 7 DE JULHO DE 1986.
Decreto 750/93
Artigo 1° - Ficam proibidos o corte, a exploração e a supressão de vegetação primária ou nos estágios avançados e médio de regeneração da Mata Atlântica.
DECRETO N° 750 DE 10 DE FEVEREIRO DE 1993
Decreto no 1.922/96
Dispõe sobre o reconhecimento das Reservas
Particulares do Patrimônio Natural,
e dá outras providências.
Decreto no 1.922, de 5 de junho de 1996
Resolução SMA 21
Fixa orientação para o reflorestamento heterogêneo de áreas degradadas e dá providências correlatas
Válido para o Estado de São Paulo
Resolução SMA 47
de 26 de novembro de 2003
Altera e amplia a Resolução SMA 21, de 21-11-2001; Fixa orientação para o reflorestamento heterogêneo de áreas degradadas e dá providências correlatas
Válido para o Estado de São Paulo

Aprenda a cuidar de uma arvore.

Respeito
Para poder cuidar bem de uma Árvore, é preciso respeitar suas preferências. Para isso, veja em nossa Lista de Espécies, quais são as características de cada espécie. Este conhecimento, além de ser um respeito à natureza, garante o sucesso de seu plantio.
Muito cuidado com espécies de Biomas diferentes do local de plantio. Por exemplo, querer cultivar Mogno no sul do país, sabendo que esta é endêmica da Amazônia, ou mesmo querer plantar o Pinheiro-do-Paraná nos Lençóis Maranhenses, definitivamente não seria uma boa idéia.

Exóticas
Caso a árvore que você escolheu seja uma espécie Exótica, procure por espécies Brasileiras que possam substitui-la. Com certeza, na diversidade da Fauna Brasileira, alguma espécie lhe servirá.
A problemática de espécies Exóticas introduzidas no Brasil, está sem controle em muitos lugares do Pais. Ajude a não aumentar os números deste problema.

Árvore Adulta
Outro fator importante é conhecer características como altura, raiz, queda de folhas, flores, frutos ou mesmo galhos.
Quando pequena toda árvore é bonita e não incomoda ninguém. Ao crescer, a árvore pode soltar muitas folhas e entupir bueiros. Algumas podem apresentar frutos muito grandes representando perigo à via pública. Algumas espécies tem como característica a formação de copas muito altas, atrapalhando a fiação elétrica, e neste crescimento, algumas deixam cair galhos mais baixos, um risco em potencial. O fim desta Árvore será igual a de muitas outras que foram plantadas sem nenhum conhecimento, e hoje são podadas nas formas mais vergonhosas possíveis, ou mesmo a morte.

Preferências
Escolhida a espécie, saiba sua preferência por solo, luz e água, e escolha o local mais apropriado possível.
Enquanto a muda é pequena, regue regularmente, nos períodos da manhã e a tarde. Evite regas à pleno sol, pois a água sob as folhas serve como lente de aumento para os raios solares que deixarão marcas. Além do mais, por motivos biológicos, a planta não aproveitará esta água, que evaporará.

Consciência
Assim como nos empenhamos para cuidar de animais domésticos, que outrora já foram, em ultima análise, selvagens, temos que nos empenhar o mínimo para cuidar de nossas árvores.Os tratamentos dados à animais e plantas, são baseados em estudos de sua vida em seu Habitat Natural. Portanto, seguindo estes estudos, tudo sairá bem. Animais felizes e plantas saudáveis.

Conheça
Agora, que tal você ir em nossa Lista de Espécies e saber mais sobre a muda que deseja comprar ?Conheça tudo que puder sobre as espécies que irá plantar. Entre em nosso fórum, troque informações e boa sorte!

Dúvidas ?
Caso tenha alguma dúvida, envie-a para nós que iremos responder com todo o prazer!Para isso, utilize o menu Contato.

Aqui estão alguns dos motivos para você plantar não uma, mas várias árvores, e ajudar a natureza!

Uma árvore adulta pode absorver do solo até 250 litros de água por dia. Imagine como elas poderiam ajudar para não ocorrerem tantas enchentes, das quais matam e deixam muitas pessoas sem casas! Junto com toda essa água absorvida, muitos nutrientes de matérias orgânicas (como as fezes dos animais) são absorvidos pelas raízes e transformados através da fotossíntese, em alimento para a toda a planta. Por sua vez, folhas, frutos, madeira e raízes servirão de alimento para diversos seres vivos. Os animais por sua vez, irão defecar o que comeram, e as folhas e frutos que não serviram de alimento caem no solo.Folhas, frutos e fezes de volta ao solo, e todo o ciclo recomeça. A camada de folhas que se formam a baixo das árvores, servem de berço para as sementes, e para proteger o solo dos pingos da chuva. Cada pingo de chuva que cai diretamente no solo, causa erosão. A erosão do solo pode ser prejudicial em vários casos:

Em rios: A erosão leva terra e areia para o leito (fundo) do rio, fazendo com que o rio fique mais raso, com menor capacidade de guardar água, causando a falta de água nos meses de pouca chuva, além da morte dos peixes.
Para o Solo: A erosão leva embora as sementes que poderiam germinar e recompor a vegetação natural. Ou seja, solo desprotegido tende a continuar desprotegido.
Para os animais: A erosão pode levar embora ninhos de animais que os fazem no chão, e tampar os de diversos outros animais, matando os filhotes que estão dentro. Além do mais, sem vegetação e frutos para alimenta-los, eles vão embora ou morrem de fome.
Para os lençóis freáticos: Os solos sem vegetação, por não terem raízes e minhocas para deixa-lo fofo, não tem uma boa absorção de água. Além do mais, como não há barreiras para a água, ela vai embora rapidamente, não dando tempo para a água da chuva penetrar no solo. Com isso os lençóis freáticos secam, acabando assim com muitos rios e conseqüentemente com nossa água potável.

A copa das árvores também protege o solo da chuva direta, sem contar que suas raízes seguram firmemente o solo. As raízes de árvores que estão nas beira de rios, aparecem as vezes dentro do rio, parecendo cílios. Essas raízes além evitarem a erosão, servem de casa para muitos animais. Por causa destes cílios, a mata próxima aos rios é conhecida pelo nome de Mata Ciliar.
Uma árvore pode transpirar por suas folhas, até 60 litros de água por dia. Este vapor se mistura com as partículas de poluição do ar, e quando se acumulam em nuvens, caem em forma de chuva. Portanto, as árvores ajudam também na retirada de poluentes do ar! Além do mais, este vapor ajuda a equilibrar o clima da região. Isso é facilmente percebido em parques e floretas que tem seu clima mais fresco. Outro ponto que podemos notar até mesmo em parques no meio de grandes cidades, é o silêncio! As árvores formam uma parede que impede a propagação dos ruídos. Cercas vivas estão sendo muito utilizadas hoje em dia para criar ambientes mais silenciosos e aconchegantes (além de bonitos).

Se ainda assim, você ainda não se convenceu de que deve plantar árvores espere para saber mais...

Sombra: ah que delícia uma boa sombra ! Não é ? Bem, se levarmos em conta a devastação e a não preocupação do reflorestamento, pode se preparar para sair de casa de guarda sol, pois a previsão é de que em 2030 nossas matas vão acabar !
Madeira: Se você não tem nada de madeira na sua casa pode enviar seu nome para colocarmos no livro dos recordes. O mercado madereiro é um dos que mais cresce no Brasil. Muitas empresas são clandestinas, e pouca gente se preocupou em saber se a madeira que está comprando é autorizada ou não. Se você usa madeira, por que não ajudar plantando ?
Papel: Não sei se você sabe, mas não há no mundo país que tenha um substituto para o papel vindo da madeira de árvores, sendo produzido em larga escala ! Preocupante ? Então imagine quantas árvores você já usou e vai usar só com papel !
Oxigênio: Você respira ? Bem, pode não conseguir mais daqui alguns anos. A poluição gerada pelas grande cidades estão desequilibrando a quantidade de oxigênio no mundo ! E uma novidade: Estudiosos afirmam que florestas muito antigas, que já atingiram seu equilíbrio, produzem a mesma quantidade de gás carbônico (liberado a noite) que a de oxigênio. E que florestas jovens, para poder crescer, liberam muito mais oxigênio do que gás carbônico. Isso significa que plantar uma árvore é produzir oxigênio !
Frutas: Quem não gosta de uma boa fruta ? Mas não pense que elas são produzidas em laboratório. Elas chegam à sua mesa, pois árvores às produziram. E se você fizer as contas deve ter gasto com frutas o bastante para ter mais de 100 pés de cada fruta que você gosta. Mesmo porque o gasto em se ter uma árvore é quase zero.
Fauna: Que delícia ouvir o canto dos pássaros logo de manhã ! Pois então ! Plante uma árvore perto de sua casa e ouça o resultado! Se você estiver em zona rural, ou próximo à alguma floresta, ainda poderá receber a visita de diversos animais da fauna brasileira.


 

 
 
Brasil Paisagismo, todos os direitos reservados 2010.