Home | Empresa | Serviços | Fotos | Produtos | Curiosidades | Parceiros | Contato |
 
 
Curiosidades
 
 

Olha só a comida dessa planta carnívora.

Foi descoberta na península do Cabo York, na extremidade do norte da Austrália, uma nova espécie de planta carnívora denominada Tenax (foto acima).O ecologista Charles Clarke da Universidade James Cook de Queensland, explicou para a rádio “ABC” que tal achado se trata de uma nova espécie dentro da família das “pitcher plant” (“plantas jarra”). O cientista ainda comentou que a nova planta é a maior planta carnívora até agora catalogada, tanto que a mesma ao invés de consumir apenas insetos consome também pequenos ratos (camundongos).Clarke não quis dizer onde é o ponto exato de sua descoberta com receio que a planta seja extinta pela chegada brusca do ser humano ao local. Ele alegou tal coisa baseado no fato de que a dita planta carnívora é muito frágil apesar do seu tamanho. Realmente nessa o sujeito foi muito sensato.Clarke explicou que existe um enorme interesse nas “plantas jarra” australianas, apesar que se costumava crer que este tipo vegetais costumam crescer em lugares mais exóticos (e por consequência de mais difícil acesso), como Papúa Nova Guiné, Borneo ou na Ilha Indonésia de Sumatra. O interessante nesta história é que mais uma nova espécie é descoberta neste “conhecido” planeta Terra. Aliás, a descoberta é de extrema relevância para os amantes da ficção científica, já que como foi dito, as plantas carnívoras achadas antes desta só se alimentavem de pequenos insetos. Já a Tenax, se alimenta de animais vertebrados.
Apesar de já ter sido debatido sobre a possibilidade de uma planta carnívora poder comer pequenos animais vertebrados, nada foi confirmado cientificamente até hoje.

A idade de árvores

A árvore adiciona cada ano um novo cerne que fica localizado debaixo da casca, ou seja, com uma árvore cortada, é fácil saber sua idade, o que corresponde à quantidadede cerne existente na árvore. Se for bem analisada, pode-se saber se a madeira foi cortada na primavera ou no verão, pois, na primavera a árvore precisa de muita seiva, e os canais que conduzem tem um diâmetro maior; no verão, o consumo de água é menor e os canais ficam mais finos.
Mas como sabera idade de uma árvore sem cortá-la? para saber a idade das árvores sem cortá-las, os estudiosos utilizam de uma ferramenta chamada trado, que é usada para furar o tronco e retirar um pedaçode madeira, que sai no formato de uma cenoura, até o centro da árvore. Esse pedaço de madeira retirado com o trado mostra todos os cernes da árvore,o que permite saber a idade desta árvore basta contar os cernes, no entanto, esta técnica também permite saber se a árvore ainda cresce, para isto, basta observar os cernes mais recentes (os que ficam localizados mais próximo da casca), se estes não forem muito espessos, quer dizer que a árvore está envelhecendo e que ela produz menos madeira. Uma observação muito importante, após retirar o pedaço da madeira da árvore com trato para contar os cernes, é preciso colocar o pedaço de volta no lugar, pois ela pode ser atacada por insetos ou doenças que venham a prejudicá-la.
 

O maior jardim de orla do mundo

Além de suas praias, centro histórico bem conservado e de sua fama de município de alta qualidade de vida, Santos tem outra característica de fazer inveja a muitas cidades litorâneas brasileiras: o maior jardim frontal de praia do mundo. Com 5.335 metros de extensão e 218.800 metros quadrados de área - equivalente a 155 Jardins Botânicos do Rio de Janeiro - o jardim de Santos ganhou uma citação no GuinnesBooks, o livro dos recordes, em 2001, depois de nove anos tentando entrar para a posteridade das grandezas.Idealizado pelo engenheiro Saturnino de Brito, o jardim começou a ser projetado em 1914. Vivia-se uma época de especulação imobiliária e para conter a expansão desordenada dos edifícios, surgiu a idéia de sua construção. No entanto, apesar da importância, a obra só teve início em 1935, pelo trecho da Praia do Gonzaga, entre os canais 2 e 3. Quatro anos depois, o jardim Aristides Bastos Machado, nome do prefeito que começou a construção, foi entregue aos moradores - e até hoje é motivo de orgulho para a região.Do José Menino à Ponta da Praia, longos gramados em conjunto com alamedas de palmeiras, conferem um padrão único ao espaço que também conta com 1300 canteiros e mais de 100 espécies de plantas. Destaque para os lírios amarelos (Hemerocalis flava) e brancos (Spathiphiphyllum sp), biris vermelhas (Canna indica), crisântemos brancos, amarelos e mesclados (Crysanthemum sp). Como o solo não é propício ao cultivo de grande variedade de flores, usam-se folhagens coloridas para contrastar com os matizes de verde. Dentre as árvores que garantem generosos pontos com sombra, os chapéus-de-sol (Terminalia catappa) predominam - são mais de 90%.E como desde a década de 20 o jardim tem uma função urbanística, tudo lá é pensado com o objetivo de garantir que a orla da praia esteja florida o ano todo. Por isso mesmo, o plantio das espécies e a poda dos canteiros recebem atenção especial. As plantas mais resistentes, a exemplo do lírio, ficam próximas à faixa de areia enquanto as mais delicadas estão a poucos metros da avenida. Este é apenas um dos desafios para manter a exuberância do cartão-postal oficial de Santos. Mas vale a pena para um jardim que, além de ser o maior do mundo, traz vida e beleza para a cidade. Só para se ter uma idéia, considerando-se as mudas, são mais de 300 mil por ano fornecidas para os parques da região.

A maior flor do mundo cheira Carniça com fezes.

A maior e mais fedida flor do mundo desabrochou no dia 02/05/02 em Kew Gardens, em Londres, em um raro espetáculo que atraiu a atenção de curiosos e especialistas. A gigante de 75 quilos da família das aráceas desenvolveu uma única e malcheirosa flor depois de iniciar um rápido crescimento, disse uma porta-voz do Kew. "...o broto amarelo começou a crescer. Alcançou uma altura de quase três metros", completou a porta-voz.A flor gigante revelou o seu interior cor vermelho-sangue e começou desprender um forte aroma descrito como uma mistura de carcaça apodrecida e fezes. O cheiro podre, que deu à planta o apelido de "flor de defunto", é essencial para a sua sobrevivência porque indica às abelhas polinizadoras que a planta está no período de florescimento. Uma vez que as abelhas pousam sobre a flor, ela se fecha e mantém os insetos presos até ficar repleta de pólen.
O chefe de horticultura do Kew, Nigel Taylor, disse que o desenvolvimento foi o maior já visto no jardim. A última florescência de uma arácea gigante - cujo nome correto é Amorphophalus titanium - atraiu quase 50 mil pessoas ao jardim por uma semana em 1996.
Seu desenvolvimento fora de seu habitat natural, Sumatra, é raro. Há poucos lugares pelo mundo em que ela cresce em cultivação e esta é apenas a quinta vez que uma floresce no Kew desde 1889. Os horticulturistas do Kew, Greg Redwood e Phil Griffiths, tentarão fertilizar uma gigante arácea usando pólen trazido da América e da Alemanha.

Arvore mais antiga do Brasil

A arvore mais antiga do país é um jequitibá-rosa do parque estadual de Vassununga, que se localiza no município de Santa Rita do Passa Quatro, a 253 km de São Paulo. Com aproximadamente 3 mil anos de idade, a arvore tem 40 metros de altura e cerca de 3.60 metros de diâmetro.

Segundo a prefeitura do município, a quantidade de madeira produzida por este jequitibá-rosa seria de 190 m3, o que poderia construir aproximadamente 15 mil cadeiras. Estima-se que o exemplar é do ano 200 a.C.
 

Aprenda um pouco mais sobre a arvore mais alta do planeta

O ser vivo mais alto da terra é uma arvore no norte dos estado da Califórnia, nos estados unidos. Apelidada de hyperion, a sequóia gigante de 115 metros bateu o recorde de arvore mais alta do mundo e tirou o posto da Stratosphere Giant de 112 metros.
A hyperion foi descoberta no parque nacional Redwood, ao norte de São Francisco, no fim do ano passado por uma equipe de cientistas americanos, que se dedicou a percorrer as florestas localizadas na região litorânea da Califórnia.
Segundo o naturalista Chris Atkins, que descobriu a Stratosphere no ano 2000, os cientistas já encontraram até hoje cerca de 135 sequóias que chegam a mais de 100 metros. O descobrimento surpreendeu os especialistas, por que estes não esperavam encontrar mais arvores de grande porte nesta zona.
O local, durante anos serviu de área de extração para empresas madeireiras e também não cumpre com as condições que até agora, tinham sido pensadas como idôneas para abrigar as espécies de arvores gigantes.
A Califórnia é também o berço da arvore mais volumosa do mundo, a sequóia gigante General Sherman, no parque nacional das sequóias, e da mais velha, chamada Matusalém, que tem cerca de 4.650 anos.
 

Para os astecas que viviam na região do México, o “tchocolath” como era denominado pelos mesmos, surgiu como uma oferenda para “quetzalcoatl”, deus da sabedoria, que enviou as sementes de cacau diretamente do céu a seus ancestrais. Com estas sementes, preparavam uma bebida amarga e espumante e ofereciam as pessoas sacrificadas aos deuses na época das colheitas. Por volta de 600 a.C., os Maias ficaram tão ricos com as plantações dessa furta, que o cacau virou moeda forte.
Diz-se que um coelho podia ser comprado com apenas oito sementes e um escravo com 100 sementes. O primeiro europeu a provar o chocolate teria sido Cristóvão Colombo, na quarta viagem ao novo mundo. A Espanha manteve por muitos anos o segredo sobre como cultivar e tratar o cacau para se transformar em chocolate.
A França foi o primeiro país depois da Espanha, a conquistar este segredo, por conta do casamento da infanta da Espanha “Ana da Áustria”, com o rei Luiz XIII da França. Visitantes de outros paises passaram a adorar o chocolate que lhes era servido, e assim o mesmo acabou se tornando uma delicia universal.
O chocolate é um alimento de alto valor nutritivo e energético, pois contém carboidratos, gorduras, proteínas, sais minerais e vitaminas, mas convém lembrar que 100 gramas de chocolate possuem cerca de 500 calorias, e, se consumido em excesso, pode piorar o quadro de problemas de pele como a acne. O ovo da páscoa de chocolate surgiu no século XVIII, criado por confeiteiros franceses e, somente no inicio do século XIX os ovos começaram a se popularizar, sendo industrializados e produzidos em diversos tamanhos e formas.
Depois de colhidos, os frutos do cacau permanecem amontoados em “rumas” (pilhas, montes) por dois ou três dias. Em seguida, o cacau é aberto manualmente. Com as sementes expostas, as mesmas são retiradas e colocadas e, caixas apropriadas para fermentação, onde ficam de 5 a 7 dias. A etapa seguinte é a da secagem, que pode ser feita ao natural, expondo-as ao sol por 7 a 10 dias, ou com secadores mecânicos que em apenas 24 a 26 horas, realizam este processo. Terminada a secagem, as sementes de cacau já estão em condições de ser armazenadas até seis a oito meses, ou então comercializadas. A parte mais utilizada da planta são as sementes, que fermentadas, secas e moídas, resultam na pasta de cacau, matéria-prima para a fabricação do pó de cacau, manteiga de cacau, cacau solúvel e chocolate.
A pasta é rica em gordura, amido, sais minerais, alcalóides, proteínas e taninos. O cacaueiro prefere solos férteis, profundos e bem drenados, como pH neutro. Para o bom desenvolvimento da planta, são necessárias precipitações pluviométricas bem distribuídas ao longo do ano. Para que frutifique, é preciso que suas flores sejam polinizadas por moscas díptera, encontradas em bromélias, bananeiras e detritos orgânicos. Não se esqueça! Os insetos fazem partem da biodiversidade e são muitos importantes para o equilíbrio natural de seu pomar.
A doença mais comum que ataca o cacaueiro é a vassoura de bruxa provocada por um fungo chamando crinipellis perniciosa, que ataca as folhas e ramos novos e as flores, podendo também atacar as cabaças novas do cacau. Este fungo se espalha através do vento, pelas mãos e até pelas roupas.
Para diminuir o ataque da vassoura de bruxa, deve-se retirar do pé de cacau todas as partes atacadas pelo fungo, e de preferência queimar. Graças ao seu clima, solo e topografia, a Bahia na região de Ilhéus, é uma das maiores produtoras de cacau no mundo. A primeira área de cultivo foi na região da atual canavieiras com sementes vindas do Pará, por volta de 1746. O cacau é plantado também no Amapá, Amazonas, Pará, Maranhão, Pernambuco, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rondônia e Mato Grosso. Hoje, o Brasil é considerado o segundo.

Você já plantou arvores, conhecia as espécies? Você conhece alguém que já plantou uma arvore?

Você já colocou água em alguma arvore perto de sua residência, há não vale fazer xixi no PE das arvores para isso os cachorrinhos já o fazem tem que ser H2o.Se você quer colaborar com a natureza e com isso melhorar nossa qualidade de vida, mas por algum motivo não sabe como ai vai algumas dicas.

.Doe mudas de arvores para a prefeitura onde moram os profissionais saberão pela espécie qual o melhor local para plantá-las.
.Faça um mutirão com seus amigos e familiares para limpeza de uma praça ou parque vocês irão se divertir há, mas avise a prefeitura ou órgão competentes antes ta garanto que as pessoas que estiverem olhando vão querer participar com vocês, tirem fotos e mandem pra nossa redação que mostraremos com muito orgulho.
.Denuncie quem maltrata animais ou destroem nossas arvores.
.Não ao desperdício de água como lavar calçadas em vez de vare-la, lavar carro e esquecer a mangueira jorrando nossa preciosa água.
.Não durma embaixo do chuveiro alem de mandar a água pro ralo alguém vai ficar muito chateado na hora de pagar as contas de água e de luz então vamos se ligar tem gente no planeta morrendo de sede não seja, mas um irresponsável.
.Separe seu lixo, reciclar e preservar nossas riquezas naturais.
.Peça orientação a prefeitura antes de plantar arvores dependendo da espécie você poderá estar atrapalhando em vez de estar colaborando você já viu aquelas arvores gigantescas com seus galhos entre os fios de alta tensão, você já viu como fica a arvore depois que eles podam parece que mutilaram a coitada, então peça orientação para plantar uma espécie condizente com o lugar, na duvida mande um e-mail pra nossa redação que vamos te dar algumas dicas.

Se você gostou das dicas indique este site para seus amigos e familiares.
Pedimos aos nossos internautas que mande-nos sugestões de matérias?
Se você conhece alguma planta ou animal interessante mande fotos e curiosidades.
Se você presenciou e fotografou alguém destruindo a natureza bote a boca no trombone.

Fitoterapia, "A terapêutica das doenças através das plantas".
Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças. Ela surgiu independentemente na maioria dos povos. Na China, surgiu por volta de 3000 a.C. quando o imperador Cho-Chin-Kei descreveu as propriedades do Ginseng e da Cânfora.

Vantagens e riscos
Há uma grande quantidade de plantas medicinais, em todas as partes do mundo, utilizadas há milhares de anos para o tratamento de doenças, através de mecanismos na maioria das vezes desconhecidos. O estudo desses mecanismos e o isolamento do princípio ativo (a substância ou conjunto delas que é responsável pelos efeitos terapêuticos) da planta é uma das principais prioridades da farmacologia. Enquanto o princípio ativo não é isolado, as plantas medicinais são utilizadas de forma caseira, principalmente através de chás, ultradiluições, ou de forma industrializada, com extrato homogêneo da planta. Ao contrário da crença popular, o uso de plantas medicinais não é isento de risco. Além do princípio ativo terapêutico, a mesma planta pode conter outras substâncias tóxicas, a grande quantidade de substâncias diferentes pode induzir a reação alérgica, pode haver contaminação por agrotóxicos ou por metais pesados e interação com outras medicações, levando a danos à saúde e até predisposição para o câncer. Além disso, todo princípio ativo terapêutico é benéfico dentro de um intervalo de quantidade - abaixo dessa quantidade, é inócuo e acima disso passa a ser tóxico. A variação de concentração do princípio ativo em chás pode ser muito grande, tornando praticamente impossível atingir a faixa terapêutica com segurança em algumas plantas aonde essa faixa é mais estreita. Na forma industrializada, o risco de contaminações pode ser reduzida através do controle de qualidade da matéria prima, mas mesmo assim a variação na concentração do princípio ativo em cápsulas pode variar até em 100%. Nas ultradiluições, como na homeopatia, aonde não há virtualmente o princípio ativo na apresentação final, não há nenhum desses riscos anteriores, mas a eficácia desse tratamento não foi comprovada cientificamente. À medida em que os princípios ativos, são descobertos, os mesmos são isolados, refinados de modo a eliminar agentes tóxicos e contaminações e as doses terapêutica e tóxica são bem estabelecidas, de modo a determinar de forma precisa a faixa terapêutica e as interações desse fármaco com os demais. No entanto, o isolamento e refino de princípios ativos também não é isento de riscos. Primeiro porque pretende substituir o conhecimento popular tradicional e livre, testado há milênios, por resultados provindos de algumas pesquisas analítico-científicas que muitas vezes são antagônicas. Segundo, porque a simples idéia de extrair princípios ativos despreza os muitos outros elementos existentes na planta que, em estado natural, mantêm suas exatas proporções. Assim sendo, o uso de fitoterápicos de laboratório poderia introduzir novos efeitos colaterais ou adversos inesperados, devidos à ausência de [sinergia|sinergismo] ou antagonismo parcial entre mais de um princípio ativo que apenas seriam encontrados na planta.

 
 

Porque não devemos plantar plantas exóticas
- Por não terem predadores naturais, essas espécies podem se multiplicar sem controle, tornando-se assim uma praga, como é o caso do Eucalipto.
- Por não terem uma boa relação com a floresta nativa, podem competir desigualmente pelo espaço, chegando até matar as espécies nativas, como é o caso da Leucena, que em seu habitat natural com pouca água, desenvolveu uma substância que impede o crescimento de outras espécies ao seu redor, para evitar a competição pela água escassa.
- A proliferação pode ser descontrolada. Como é o exemplo também da Leucena. Em seu habitat nativo desenvolveu uma estratégia de produzir milhares de sementes. Isso porque a semente que encontrar apenas um pouco de água já irá germinar. Mas aonde o solo é seco só algumas sementes conseguem sobreviver. Aqui no Brasil, por sser um país tropical úmido, todas as sementes encontrar condições ideais para germinar. O que temos é uma diceminassão tão intensa deste espécie que hoje é considerada uma verdadeira praga em nosso ambiente.
- Algumas espécies exóticas tem as raízes muito bem preparadas para absorver toda a água que conseguirem. Como é o caso do Eucalípto, que absorve tanta água do solo, que este chega a ficar seco. Muitos locais estão com o solo pobre por terem sido invadidos por esta espécie, que muitas vezes é plantada por pessoas que desconhecem este problema.
- O maior erro em se plantar exóticas como Eucalípto e Pinheiros, é que estas espécies crescem muito rápido. Pessoas e empresas que são obrigadas judicialmente a reflorestar, utilizam estas espécies para mostrar o resultado o mais rápido possível. O que muita gente não sabe é que com espécies pioneiras brasileiras, consegue-se este resultado ou mesmo um melhor, tanto em termos de tempo quanto obviamente de qualidade, como é o caso da Embaúba, Monjoleiro e outras.
Não seja você mais um plantador de espécies não brasileiras

 
 
 
Brasil Paisagismo, Todos os direitos reservados 2010.