Home | Empresa | Serviços | Fotos | Produtos | Diferenciais | Curiosidades | Parceiros | Contato |
 
 
 
 
ABC das Frutíferas, letras D, E & F

Nome popular: Damasco.
Nome cientifico: Prunus armeniaca.
Luminosidade:Pleno sol ou meia sombra.
Porte: Até de 7 metros de altura.
Frutos:De maio, julho,agosto no Hemisfério Norte, novembro e janeiro no Sul.

O damasqueiro é originário da China e da Sibéria, sendo introduzido na Itália,o damasqueiro é uma árvore que atinge de 3 a 10 m de altura.O damasco é uma fruta que também é conhecida por abricó. O mesmo é rico em vitaminas A, B1, B2, B6, E e C sendo também enriquecido com ferro fundamental no transporte de oxigénio para as células, sódio fósforo, potássio, cálcio e cobre, magnésio, zinco, enxofre, betacaroteno e ácido fólico.

Nome popular: Figo.
Nome cientifico: Ficus carica L.
Luminosidade: Sol pleno ou meia sombra.
Porte: Até 10 metros de altura.
Frutos: Quase o ano todo.

O fruto da figueira é geralmente identificado como o figo, propriamente dito. No entanto, este não passa de um receptáculo carnoso, de casca fina e macia, em cujo interior encontram-se os verdadeiros frutinhos, as sementinhas e os restos das flores da figueira sendo todo conjunto completamente comestível. Por dentro, a massa rosada ou esbranquiçada é refrescante e se desmancha na boca, podendo variar o seu sabor entre o insípido e o muito doce. Assim, de acordo com sua destinação futura, os frutos das figueiras devem ser colhidos em diferentes estágios de maturação: os figos verdes se destinam basicamente à industrialização de doces em compotas; os inchados são usados para a produção do figo-rami, espécie de passa de figo; os maduros são para produção de doces em pasta ou figada, ou ainda para consumo in natura. A figueira desenvolve bem nas regiões subtropicais temperadas, mas tem grande capacidade de adaptação climática.

Nome popular: Framboesa.
Nome cientifico: Rubus idaeus.
Luminosidade: Sol pleno ou meia sombra.
Porte: Até 2 metros de altura.
Frutos: De Outubro a Novembro.

A framboeseira é uma planta arbustiva, caule ereto, ramos armados de acúleos. Os ramos são conduzidos em suportes de arames, colocados a 0,60, 1,10 e 1,70 metro do solo, sistema esse conhecido como espaldeira. Esse sistema melhora a condução das plantas, o arejamento e a incidência da luz solar nas diferentes partes das plantas, facilita os tratos culturais, as pulverizações para o controle de pragas e doenças e principalmente a colheita de frutos. Os frutos maduros são aromáticos, adocicados, comestíveis, de coloração rosa-vermelha ou, raramente, variedades com produção de frutos com cores brancas, amarelas ou roxas. A época da colheita é em dezembro a início de janeiro, nas condições brasileiras. Após cada colheita, todos os ramos que produziram devem ser eliminados através de poda, porque a frutificação ocorre nos ramos formados no ano. A eliminação de excesso de ramos, dos vigorosos que crescem na vertical (ramos ladrões), dos ramos secos e doentes, durante o desenvolvimento vegetativo, é fundamental para manter o seu vigor e boa produtividade.

Nome popular: Fruta-do-conde.
Nome cientifico: Annona sp.
Luminosidade: Sol pleno.
Porte: Até 7 m de altura.
Frutos: Quase todo o ano.

O fruto é meio redondo, com várias saliências elevadas; à medida que vai amadurecendo, essas saliências mudam de cor, passando do verde claro para o verde meio cinzento. A polpa tem gomos, as sementes são compridas, de cor preta brilhante, cobertas por uma massa doce, macia , perfumada e muito saborosa. Prefira as que tenham coloração verde-clara, quando for consumi-la imediatamente. Não compre as que estiverem escuras, rachadas ou moles. Pode ser consumida ao natural , em sucos, doces, purês (para usar em pratos salgados), sorvetes, musses, suflês ,entre outros. É uma excelente fonte de vitamina C, tem complexo B, é rica em açúcares, vitaminas e sais minerais. Prefere clima quente, porém com pouca chuva e estação seca bem definida. Começa a produzir 3 anos após o plantio. A poda da fruta-do-conde é feita com o objetivo de uniformizar brotações novas, além de favorecer o florescimento e frutificação. “Deve-se encurtar os ramos, deixando quatro a seis gemas por ramo e retirar as folhas restantes com o auxílio de uma tesoura de poda.

 
 
 
Brasil Paisagismo, Todos os direitos reservados 2010