● Nome popular: Babosa.
● Parte usada: Folha, polpa e seiva.
● Propriedades terapêuticas: Antioftálmica, vulnerária, vermífuga, entre outros.
● Indicações terapêuticas: Queda de cabelo, caspa, brilho no cabelo, combate a piolho e lêndea, inflamação, queimadura, erisipela, contusão, dor reumática, entre outros.
● Origem: Encontrada na África, especificamente no Cabo Colônia e nas montanhas da África tropical.
● Uso medicinal: O suco das folhas é emoliente e resolutivo, quando usadas topicamente sobre inflamações, queimaduras, eczemas, erisipela. A polpa é antioftálmica, vulnerária e vermífuga.
● Efeito colateral: Não deve ser ingerida por mulheres durante a menstruação ou gravidez. Não usar internamente em crianças.


● Nome popular: Balsamo.
● Parte usada: Folhas frescas.
● Propriedades terapêuticas: Digestivo, cicatrizante, emoliente, entre outros.
● Indicações terapêuticas: Inflamações gastrointestinais e de pele, úlcera, erisipela, afecções do aparelho respiratório e urinário, diabetes, bronquite crônica, queimaduras, frieiras, entre outros.
● Origem: África do sul, Ásia e América Tropical.
● Uso terapêutico: Digestivo, cicatrizante, emoliente, usado em inflamações gastrointestinais e de pele.
● Indicação: Uso ao natural apresenta uma ação protetora contra úlcera, erisipela. Usado também para combater afecções do aparelho respiratório e urinário.
● O óleo é usado ainda contra diabetes, bronquite crônica, queimaduras e frieiras.
● Suco: 10 folhas batidas no liquidificador com um ½ de água. Tomar ½ copo antes do café da manhã.


● Nome popular: Barbatimão.
● Parte usada: Cascas.
● Propriedades terapêuticas: Adstringente das gengivas, depurativa, anti-séptica, antidiarréica, vulnerária, tônica, antiasmática, entre outros.
● Indicações terapêuticas: Úlceras, catarro uretrais e vaginais, diarréia, hemorragia, entre outros.
● Origem: pode ser encontrada desde o Amapá até o Paraná.
● Uso medicinal: As cascas têm grande poder adstringente. Externamente, reduzidas a pó, empregam-se no tratamento de úlceras e, em banhos e injeções, atuam contra a leucorréia, catarro uretrais e vaginais.


● Nome popular: Bardana.
● Parte usada: Raiz e folha.
● Propriedades terapêuticas: Depurativa, diurética, laxativa, anti-séptica, estomáquica, antidiabética, entre outros.
● Indicações terapêuticas: Purificador do sangue, afecções reumáticas, queda de cabelo, entre outros.
● Origem: Européia, sendo muito comum no Japão, Portugal, França e Itália.
● Uso medicinal: Conhecida desde a antiguidade na medicina caseira, nunca tendo sido contestada ao longo dos séculos. As raízes e as folhas tenras podem ser utilizadas como alimento, podendo a raiz também ser consumida crua. Antigamente era utilizada em mistura com outras ervas, para clarear a pele, a bardana tem hoje aplicações como depurativo e cicatrizante.
●Uso culinário: Os talos das flores devem se colhidos antes que as flores se abram, e comidos refogados ou crus temperados com vinagre e óleo. Pode também ser utilizada refogando-se folhas e brotos tenros com espinafre.


• Nome popular: Beldroega.
• Parte usada: Planta inteira.
• Propriedades terapêuticas: Diurética, laxante, vermífuga, depurativa, emoliente, anti-inflamatória, antipirética, entre outros.
• Indicações terapêuticas: Depurativa do sangue, mastite, hemorróidas, cólicas renais, queimaduras, úlceras, inflamação dos olhos, entre outros.
• Uso medicinal: A Beldroega é considerada uma planta refrescante. A beldroega tem valiosos minerais, vitaminas, e grande quantidade de ácido salicílico. Em infusões é tônica e depurativa do sangue.
• Uso culinário: A folha jovem tem um sabor refrescante e podem ser consumidas em saladas ou cozidas ao vapor. As folhas mais velhas podem ser usadas para enriquecer sopas e ensopados. Os talos podem ser consumidos picados para saladas no inverno.  Sanduíches feitos com fatias finas de pão preto, queijo cremoso e folhas de beldroega são uma excelente indicação para uma refeição leve e saudável.
• Curiosidades: Na Idade Média era considerada uma planta que protegia dos maus espíritos e com um poder "antifeitiço". Há registro de que um herbalista do século XVI disse que a beldroega esfria o sangue e provoca o aumento de apetite.


● Nome popular: Boldo do chile.
● Parte usada: Folhas.
● Propriedades terapêuticas: Tônica, excitante, digestivo, calmante, diurética, entre outros.
● Indicações terapêuticas: Afecções do fígado e do estômago, cólicas hepáticas, hepatites, tontura, insônia, prisão de ventre, reumatismo, gonorréia, entre outros.
● Origem: Chile.
● Uso medicinal: Combate a má digestão, fortifica o estômago e os nervos. Combate a insônia, limpa as manchas da pele, especialmente as do rosto causadas por distúrbios do fígado.
● Efeito colateral: Tomada em doses maiores que as recomendadas, podem provocar vômitos.
● Outros usos: A madeira seca do tronco é excelente para serviços de torno em marcenaria e carpintaria, a madeira é castanho oliva, de grande dureza e durabilidade e de estrutura fina quando seca. A casca é rica em taninos, e por esta razão é utilizada para curtir e até tingir fibras.


  Nome popular: Banana.
  Parte usada: Polpa.
  Origem: Ásia Meridional.
  Propriedades medicinais: Anemia, debilidade orgânica, escorbuto, fraqueza generalizada, intestino solto, linfatismo, entre outros.
A banana é uma fruta de alto valor nutritivo, muito rica em açúcar, potássio e sais minerais, principalmente cálcio, fósforo e ferro, e vitaminas A, B, B1, B2 , C e H.
  Uso Medicinal: Asma - Assar a muda pequena da bananeira maçã, com raiz e tudo, cortada em rodelas. Depois espremer para obter o caldo, misturar com mel de abelha e tomar diariamente um cálice.
Desnutrição - A banana pode ser incluída no programa alimentar de convalescentes de desnutrição, haja visto que é alimento rico em calorias e vitaminas. Seria vantajoso incluí-la na merenda escolar.
Paralisia - As doenças neurológicas que levam a paralisias são às vezes tratáveis com vitaminas do complexo B. A banana, como fonte dessas vitaminas é adequada nesses casos como elemento dietético.
Dicas culinárias: Ao fazer banana em calda, vá retirando toda a espuma que se forma. Assim a calda fica mais transparente.
Para que o doce de banana não grude no fundo da panela, quando for misturar as bananas e o açúcar acrescente uma colherinha de chocolate em pó.
Antes de fritar a banana, passe-a em farinha de trigo. Assim,ela não fica encharcada de gordura.
Curiosidades: A bananeira é considerada a árvore dos sábios. Por isso seu nome científico é Musa sapientum.


  Nome popular: Borragem.
  Parte usada: Folhas, pétalas, caule, sementes.
  Propriedades terapêuticas: anti-inflamatórias; atua no alivio de várias dores relacionadas às inflamações e de igual maneira nos tumores.
  Usos: Afecção das vias respiratórias, aliviar tumores, para reumatismo, transtornos menstruais, menopausa, furúnculos, dermatites.
Suas folhas frescas ou secas são usadas como tempero e as flores como aromatizantes.
Modos de usar: Usa-se o óleo extraído da semente; usa-se também o chá das folhas quando filtrado. As folhas frescas ou secas são consumidas como saladas,puras ou misturadas com outras ervas, como temperos e as flores como aromatizantes.
É uma planta medicinal, herbácea anual que cresce em terras ricas em azoto. A planta é rica em mucilagem, nitrato de potássio e em sais minera.


  Nome Populare:Bucha.
  Partes usadas:Frutos.
 Propriedades terapêuticas:A polpa do fruto da luffa cylindrica madura é usada pelo povo como purgativa e vermífuga. Infusão com 8 gs para um copo de água fervida. Caules e folhas têm seu uso popular nas pertubações do fígado, prisão de ventre e anemia.
O fruto da bucha dos paulistas é bastante utilizado como esponja para banho.
 Efeitos colaterais: A buchinha do norte em altas doses é extremamente tóxica, causando hemorragias e acidentes fatais. Sua utilização não deve se prolongar por mais que o indicado e deve ser interrompido seu uso imediatamente em caso de dor de cabeça.