• Nome popular: Damiana.
• Indicações terapêuticas: Sífilis, leucorréia, má-digestão, diarréias, tosses catarrais, neuratenia, bronquites, dificuldades sexuais masculina e feminina, entre outros.
É um arbusto aromático de Vênus com sabor agradável, o fruto é uma cápsula subglobosa de cerca de cinco mm. À mesma atribuem-se iguais propriedades, principalmente a ação tônica e imediata sobre os órgãos gênito-urinários.
• Dosagem indicada: Utilizam-se, em uso interno, uma colher de sopa de folhas desidratadas (quatro g) em chá por infusão (um litro de água), três xícaras ao dia. Pode ser administrada a crianças, em sexta, terça ou meia parte, dependendo das idades.
Externamente é usada em compressas e duchas. Para a leucorréia fazem-se aplicações diárias em seringa de borracha de um infuso com seis colheres de sopa das folhas em um litro de água.
• Toxicidade: Convulsão com dose de 200g de estrato, e 1g de arbutina, então é considerada tóxica, mas isto não preocupa porque equivale a 100g da erva.


●Nome popular: Didal.
●Parte usada: Casca.
●Propriedades terapêuticas: Antioxidante, antitumoral e anti-úlcera gástrica.
●Indicações terapêuticas: Úlcera gástrica, gastrite, ferimentos, inflamação do útero, transtornos da vesícula biliar, emagrecimento e urticária.
●Origem: América do Sul e América Central.
●Uso medicinal: O uso medicinal é amplo com destaque sobre o macerado aquoso para o tratamento da úlcera gástrica e gastrite, ferimentos, inflamação do útero, entre outros.


●Nome popular: Dente-de-leão.
●Parte usada: Rizoma, folhas, inflorescência, sementes e raiz.
●Propriedades terapêuticas: Alcalinizante, anódina, anti-anêmica, anti-colesterol, anti-diarréica, antiescorbútica, antiflogística entre outros.
●Indicações terapêuticas: Ácido úrico; acidose, acnes, afecções biliares, afecções hepáticas, afecções ósseas, afecções renais,entre outros.
●Origem: É originária das regiões temperadas dos dois hemisférios.
Para estimular a digestão: As raízes e as folhas novas devem ser servidas em forma de salada.
Desintoxicar o fígado: Deixar macerando durante toda a noite uma colher (chá) das raízes em i xícara (chá) de água; no dia seguinte, ferver rapidamente; coar; tomar metade meia hora antes do café da manhã e outra metade depois do café da manhã.
Tônico e depurativo: Infusão 10g de folhas por litro de água, três xícaras (chá) por dia, sendo preparadas apenas imediatamente para consumo.
●Efeito colateral: É contra-indicada em casos de pessoas com sensibilidade gastrintestinal, acidez estomacal, com obstrução no duto biliar; no caso de cálculos renais, usar a planta apenas sob a supervisão de um médico.